Wednesday, August 02, 2006

PURA SENSIBILIDADE

s

Se copiar eu quiser
O mais lindo dos poemas
Devo usar pró escrever
Em vez de canetas, penas

Com isto quero eu dizer
Mas não me levem a mal
Que se lhes querem dar prazer
Usem o material ideal


Num mundo com harmonia
Cada homem deve ter
Um sonho, uma fantasia
Prazeres e arte pró viver....
.
.
LIZ,AGOSTO de 2006

5 comments:

Canephora said...

Para escrever o que já foi inventado, tens de o fazer a pérolas, gotas brancas num fundo negro, que como gotas de sangue se espalham no ribeiro como pétalas de rosa que descem o rio, para dizer... estou aqui.
Gritar ao vento que a felicidade somos nós...
não inventar!

Já não vinha aqui à algum tempo... mas gostei... continuo a gostar.

Nilson Barcelli said...

Escreves pouco, mas bem.
Adorei este teu poema.
Nunca mais vi o Artur... e de ti não tenho sabido nada... Estais de férias?
Beijos.

Unicus said...

Muito em jeito de Aleixo e por isso mesmo belissima essa sensibilidade..
Beijinho

Carmem L Vilanova said...

Amiga,
Voltei hoje a blogosfera, depois de quase 3 meses de desncanso.
E volto hoje com festa... Gostaria de poder contar com sua presença nesta data duplamente feliz para mim...
Beijos, flores e muitos sorrisos!

Nilson Barcelli said...

Liza, onde te meteste que nunca mais te vi?
Está tudo bem?
Beijos.