Sunday, January 02, 2005

INOCENCIA


Meu olhar distante e vazio
cavalga num passado inexistente

esfolho o livro de minha vida
encontro actos submissos e tenebrosos

a exuberância da paixão e do erotismo
palavras silenciadas plo prazer

actos realizados em momentos de cobardia
palavras que transportam agressões

eternos momentos vividos intensamente
transformam-se de rosas em espinhos

na rude maturidade da vida
fui gigante e fui criança

embora seja uma eterna sonhadora
saboreei o sabor amargo da ilusão
......
da vida ganhei uma grande lição
que nem tudo o que brilha é ouro
.......

LIZ

7 comments:

Anonymous said...

Vá lá
não me deixes ficar tão mal, em frente de todo o mundo
...tenho sido assim tão mau?????
Beijinho e ... tu sabes

Artur

ps- surpreendes-me sempre que escreves...andei 12 anos sem saber.

Anonymous said...

Belo poema como só tu sabes escrever, lembra que a vida tambem tem boas recordações,viver a vida requer sonhar apaixonadamente:)
BJS

Micas said...

Cada vez gosto mais de te ler Liz. Palavras profundas, sentidas. Excelente poema. Bom Ano, que 2005 te abra a porta de todos os teus sonhos. Beijinhos

BlueShell said...

Alguns problemas familiares têm-me impedido de retribuir as visitas que tão agradáveis me são. Está tudo do avesso na minha vida. Espero voltar a poder fazer as minhas visitas mais regularmente. Jinho, BSHell

MONALISA said...

Apesar de tudo, a dor é-nos fundamental. Costumo dizer que també somos as nossas mágoas. Doutra forma, como saboreariamos os momentos bons?
Beijo.

Nilson Barcelli said...

A dor é uma das vitaminas do crescimento.
Continua a crescer, ainda com o mínimo dessa dor.
Mas gostei do poema.
Beijinhos.

Nilson Barcelli said...

A dor é uma das vitaminas do crescimento.
Continua a crescer, ainda com o mínimo dessa dor.
Mas gostei do poema.
Beijinhos.