Friday, May 20, 2005

CIUME





Vivo agora na escuridão
Onde persiste minha alma

Podendo viver na verdade
Preferi entregar-me ao ciume
tirar da minha vida a calma

hoje

Existem pedaços de fel
Feitos da minha imaginação

Criei alucinações
Abandonei-te sem piedade
até pedi compaixão

Vivo

Num mundo que esconde
Meus medos e receios
.
criados pela insegurança
Alimentados pelos ciúmes
de sonhos alheios

Onde vivo para magoar
Sentindo grande revolta

Onde

Cada gesto pode ferir
Cada palavra destrói
o amor á minha volta

Minha insegurança matou
Cada momento vivido

A distância tomou posse
Destruindo a confiança
deixando só amor ferido

Agora

Meus caprichos e sonhos
São escritos arduamente
com lágrimas

Lágrimas que eu choro
Meses

8 comments:

Marco António said...

Nada como viver um momento único, especial...
Nada como sentir sem falsidades,
Bjo

BlueShell said...

Que se passa, Liz???
BShell

Karol said...

Liz, se eu tivesse uma varinha mágica (igual aquelas das fadas do contos) eu te emprestaria algumas vezes, para que tu não passasse por momentos assim...
Bjinhos, bom fds =)

AS said...

Liz, nunca desistas daquilo que verdadeiramente desejas!...

Deixo-te o meu abraço

Carmem L Vilanova said...

Tem a certeza, querida, que os seguintes meses serao mais fáceis e melhores para ti... eu sou capaz de apostar... deseja o melhor para ti mesma e assim será, minhas linda!
Muitos beijinhos!

Micas said...

Amiga, não te deixes levar por ciumes, são o cancro de uma relação. Só tu podes avaliar, mas tenho a certeza que esses ciumes são infundados e apenas surgiram causados pela fragilidade da ausência. Tu és uma mulher coragem, não lhes cedas... Beijo grande

Nilson Barcelli said...

A insegurança e o ciúme andam quase sempre de mãos dadas.
Gostei do teu poema. É triste mas é bom.
Beijo***

Alma de Poeta said...

O poema é lindo, o conteudo sofrido....desejo que sejas feliz. Beijo grande